segunda-feira, maio 22, 2006

Andarilhos - Parte VII

[parte VI]

Você está na rua, um homem passa por você. Ele está sujo, barba e cabelos longos, as vestes judiadas a tanto tempo que, o tecido que um dia teve cores vibrantes, agora tem o tom da poeira das ruas. Sim, ele é um andarilho, olhando para o chão enquanto caminha. Parece que todas suas posses são aquilo que ele pode carregar.

O que você faz? Há quem se afaste e passe longe, afinal, ele pode ser violento, ele deve estar bêbado, talvez ele tenha doenças. Há quem desvie o olhar e procure ignorar, talvez tentando se enganar que aquilo não faz parte de SUA realidade.

Essas pessoas não percebem uma coisa: Não adianta se afastar ou ignorar, porque aquele homem acaba de fazer parte de sua vida. Naquele instante, naquele segundo, aquele homem causou neles impressões que os fizeram se afastar ou ignorar, ele teve um peso para essas pessoas.

E, no entanto, o inverso? Observe: Ele continua seu caminho, vagaroso, sem levantar os olhos. Todas aquelas pessoas que passam por ele, que o ignoram, que se afastam... não importa. Nenhuma causou qualquer efeito sobre ele. Ou seja, quem está ignorando a todos, na verdade, é ELE.

O que é isso? A LIBERDADE. Ele não tem a sua pressa, ele não precisa de sua roupa, ele não quer suas preocupações. Ele só quer andar. Ele escolhe para onde vai, ele escolhe o que e quando fazer, ele escolhe a QUEM ver. Ele escolhe quando e como interagir. Ele certamente conhece coisas, pessoas, lugares que você jamais conhecerá. Apenas porque ele usa de sua liberdade em sua plenitude, por não ter MEDO.

Eu? Eu não me afasto e nem ignoro. Eu o observo. O andarilho é uma pessoa. Como eu ou você. Eu sou uma pessoa e, um dia, poderei ser... como ele. Quem poderia saber?

Eu sei. Eu JÁ SOU.

Como a dele, minha alma sempre busca se expandir, crescer, sempre fazer mais coisas, conhecer mais pessoas, novos lugares, atingir objetivos maiores... Só que existem os medos, eu tenho algo a perder que ele não tem. Mas nada disso impede da minha alma ser andarilha. Se você tem as mesmas sensações, a sua também é. E eu sei que você tem.

Agora mesmo, sua alma está expandindo através da internet. Com a tecnologia você conhece lugares novos, você interaje com outras pessoas, as que você escolhe, da maneira que você escolher, quando você achar melhor... algumas se afastam, outras te ignoram. E você também, certos dias, apenas vagueia sem levantar os olhos, carregando seus pertences. Você conhece coisas, pessoas e lugares na internet e fora dela que eu não conheço e jamais conhecerei. Sim, eu sou um andarilho, e você também é.

Assim como o andarilho do mundo real, você anda porque procura em outros lugares o que não encontra próximo a você. Amores? Amigos? Atenção? Você procura se sentir melhor, você procura o que só você sabe que te dará esse conforto. Conforto... conforto é encontrar outras pessoas que se identifiquem com você.

E eu tenho uma novidade pra você: Todos na internet são pessoas, todos têm sua alma andarilha, e todos procuram o mesmo conforto que você. Identifique-se com todas, e com certeza sua presença virtual te trará sentimentos reais.

Olá andarilho! Obrigado por ter parado aqui, seja bem-vindo. Sente-se, aceita um café?

12 Comentários:

Blogger Gwen falou...

UAU

Agora nao me admira nada estarem fazendo piadinha sobre vc nao ter pressa...

Rs

E você também, certos dias, apenas vagueia sem levantar os olhos, carregando seus pertences...

...tentando mudar.

Fabuloso!

(creio que precisarei voltar novamente pq nao soube comentar à altura)

22/5/06 2:00 PM  
Anonymous Selph falou...

CARA...

...fechou com chave de ouro!

Sim, passou do real pro virtual. E talvez tenha sido o que mais se fez entender de nós, neste caldo internético.

Por essas e outras, tudo o que incita medo ou desconhecimento é fruto de algumas limitações. Tanto pro bem quanto por mal.

Sim, aceito um café, mas na real aceitaria melhor um chopp lá na esquina da Av. São João, na sua bela cidade. Todos juntos. Aqui, eis o fim da jornada (pelo menos dessa de posts) e o começo (pq não?) de outra.

22/5/06 2:03 PM  
Anonymous Anônimo falou...

Que orgulho! Até seus comentários são legais! :D

Sabe o que eu reparei? Esse meu texto quase dá pra ler de trás pra frente, começando pelo último parágrafo e subindo.

Deve ser porque, estranhamente, a última frase foi a primeira que eu escrevi, hehehe! Depois fiz o começo e fui descendo até chegar nela de novo, lá no final. Bizarro, né? :P

22/5/06 2:17 PM  
Anonymous Rodrigo (Bodas) falou...

Antes de sermos andarilhos, somos observadores...
Às vezes para aprender...
Desde o peso de um Não, a leveza de um Olhar, só precisamos observar.
Mas às vezes precisamos sentir e experimentar na pele.
Outras vezes só queremos ser andarilhos pelo simples prazer da viagem.
Viajar é sempre mais gostoso do que chegar. Pelo menos pra mim...
Pra quem tava há tanto tempo sem postar mostrou q não ta enferrujado!

22/5/06 2:39 PM  
Blogger Mamy falou...

Puxa, Trotta... lindo seu texto! Ai... melhor nem falar nada...

Bom, gostei muito do trecho "Todos na internet são pessoas, todos têm sua alma andarilha, e todos procuram o mesmo conforto que você. Identifique-se com todas, e com certeza sua presença virtual te trará sentimentos reais". Obrigada por me confortar de vez em quando; valeu mesmo.

22/5/06 3:11 PM  
Anonymous Marília falou...

Adorei o texto! Bem reflexivo... muito bom!!!

22/5/06 7:05 PM  
Blogger jujudeblu::: falou...

O problema é que poucas são as pessoas que têm a consciência que vc tem, e por isso que existem tantas pessoas com grandes cicatrizes por causa de pessoas que encontraram na internet...

O que eu acho?
Acho que seu texto está DEMAIS!
E eu também penso sempre que, do outro lado, existe uma pessoa de verdade e, mesmo que ela seja andarilha como eu, ela é real.
Beijos:::

22/5/06 7:09 PM  
Blogger styska falou...

simplesmente fantástico! confesso q qd comecei a ler pensei lg "foi o trotta quem escreveu" e n me enganei :) n sei se isso quer dizer q o teu estilo já se tornou inconfundível ou se sou eu q já sou tão fã q reconheço lg os teus textos! seja como for eu sou uma andarilha sim, nem q seja só neste mundo virtual.. já no mundo real sou cm o rodrigo... aprecio mil vezes mais a viagem do que o destino, pra mim o verdadeiro prazer está em viajar mm!
obrigada pelo convite, aceito sim, mas em vez de café (q não gosto :P) aceito essas palavras que confortam e deliciam, palavras que fazem mto valer a pena a viagem até este cantinho do mundo!
***

24/5/06 9:10 PM  
Blogger Tamia falou...

Uau!

I'm speechless...

Gosto de como escreves! Gosto muito do que escreves!

Obrigada pelo convite! Quando passares por cá eu faço-te um convite igual!

25/5/06 5:19 PM  
Anonymous Anônimo falou...

Pense num anadarilho modesto:
Olha lá o texto que fiz meio nas pressas...

Imagine se ele tivesse demorado e tudo...

Ótimo texto.

De vez em quando tbm observo esse tipo de andarilho nas ruas... Uns me fazem querer ajudar, outros me fazem olhar se minha carteira ainda tá no meu bolso... O_O

26/5/06 10:44 PM  
Anonymous Rodrigo falou...

O Gente!!!
Não vai demorar mais um mês pra atualizar aqui né?!?
E alguém postar! Publica ai POVO!

31/5/06 11:24 AM  
Blogger Menina falou...

Muito bonito.

Sem dúvida, o melhor texto destes andarilhos.

Eu me sinto assim em relaçào à internet: vagando à procura de alguém que me enxergue.

Encontrei bastante gente. Você, Trotta, inclusive.

Espero que as pessoas da Internet não me machuquem novamente.

3/6/06 4:36 AM  

Postar um comentário

<< Home