domingo, outubro 08, 2006

O Círio em cada um de nós

Esquina das Avenidas Presidente Vargas e Castilho França, no domingo do Círio

Belém fica linda na época do Círio... As cores, os sons, os movimentos dessa cidade na beira da baía do Guajará.
O que eu mais gosto de observar é como o Círio afeta a vida das pessoas. As famílias se encontrando, os paraenses que estão fora voltando para cá quando podem... Gosto de ver a cidade como fica nos dias anteriores à procissão, o movimento de pessoas chegando aos portos, rodoviária e aeroporto, trazendo saudades e alegrias a essa cidade.
Minha família é extremamente católica. Durante muitos anos, em todo Círio, meu pai, meu irmão e eu acompanhávamos o Círio das ruas paralelas, enquanto minha mãe ia na procissão. Lembro que, quando éramos crianças, meu pai sempre comprava para nós barquinhos de miriti para brincarmos na piscina de plástico que ele tinha montado no nosso quintal desde a manhã anterior.
Lembro da beleza da Procissão do Círio. Como isso mexe com as pessoas. Lembro que me fascinava, quando criança, os vendedores de brinquedos de miriti, de fitas coloridas, o papel picado caindo dos prédios, os fogos, as homenagens dos diversos órgãos da Avenida Presidente Vargas, dos leques de papelão com bonitas ilustrações e com a letra do “Vós sois o Lírio Mimoso” atrás. Eu e meu irmão fazíamos coleção deles.
Lembro da mesa farta e de um ano em que muitos parentes de meu pai vieram almoçar aqui em casa. E que dia alegre foi aquele! Lembro de outro Círio em que se encontraram os parentes de minha mãe, inclusive a matriarca da família, minha bisavó, que veio do interior de Abaetetuba. Nosso ultimo encontro foi nesse Círio, uma vez que ela morreu meses depois.
Penso nos paraenses que conheço que moram fora do Pará. Penso nos meus amigos que estão fazendo mestrado e doutorado no sul do Brasil ou na Europa. Penso na mãe da minha namorada em Manaus. Penso nas histórias que meus professores contam da época em que moravam até mesmo fora do país e nas saudades aterradoras de outubro. Penso em mim mesmo daqui a algum tempo que, penso eu, também vou morar fora do Pará.
Eu sei que onde houver um paraense há um rio de gente, passando das ruas de Belém para o coração dessa pessoa, lembrando a ela de todas as coisas que ela viveu durante o Círio. Um rio de gente trazendo as lembranças de um Pará que está longe e mais perto do que nunca. E isso independe de religião e crença. Um rio que atende a católicos, evangélicos, ateus, o que for. Um rio do Pará, rio de pessoas, a acalentar os paraenses que estão longe. E que sei que vai confortar a mim também.
E um feliz Círio para todos nós.

10 Comentários:

Blogger Mamy falou...

Imagina: vi o Círio na TV e imediatamente me lembrei de ti e dos demais cavaleiros! Ai... me senti perto de vocês.
Minha avó sempre me contava do Círio (ela era do Pará, de Óbidos) e até pois o nome de uma das filhas de Nazaré.
Então... tem um rio de gente no meu coração também.

8/10/06 10:50 PM  
Blogger Bodas falou...

Em Minas não me lembro de ter está tradição...
Apesar de não ser mais tão praticante ainda sou católico...
E gosto de todas estas manifestações!

9/10/06 9:37 AM  
Anonymous Menina-Prodígio falou...

Um rio de dois milhões de pessoas em avenidas apertadas com dois séculos de idade.

9/10/06 5:00 PM  
Blogger Bodas falou...

Uma experiência próxima que eu acho que já vivi foi ver um 12/10 em Aparecida!
É uma coisa de outro mundo!

9/10/06 8:38 PM  
Blogger Tamia falou...

Bom, isso parece um 13 de Maio em Fátima!
A tradição católica mexe muitas pessoas, muitas mesmo!

10/10/06 7:51 AM  
Blogger Cily falou...

Eu me emociono muito com o Círio e com a fé do nosso povo. Sei que, se um dia eu for embora, isso vai me fazer muita falta.
Mas o que eu mais gosto de ver é a corda. Fenomenal...

10/10/06 2:42 PM  
Blogger Policarpe Di Emili falou...

Olá meu irmão e conterrâneo!!
Minha família nunca foi muito católica, hoje são protestantes.Eu não tenho religião,e embora no aspecto religioso, não sinta o mesmo entusiasmo que a maioria das pessoas sentem aqui com a chegada do círio, sinto um profundo respeito pelo evento e pela identidade que o Círio de Nazaré tem com minha terra.A principal lembrança de infância que guardo do círio é quando ia com minha família ao parque de diversões do Arraial de Nazaré (ao lado da Basílica) lá meu pai me comprava também brinquedos de miriti e eu me divertia muito!!
Certamente sempre que estiver fora do Pará e ouvir falar do Círio, irei lembrar disso e da minha terra com muitas saudades.
um abraço pai d'égua!!!

10/10/06 3:41 PM  
Anonymous Anônimo falou...

Writing a blog is sometimes a very tough thing to keep fresh. I like the way you have been posting and hope you can keep it going.
Beth
Super Fitness

10/10/06 6:57 PM  
Blogger Mani falou...

Eu tinha vontade de ir, segurando corda, mas morro de medo de multidão!!!

19/10/06 10:36 PM  
Anonymous Aline falou...

Que saudade da minha Belém querida.
Belo post e referência.

Saudações marajoaras de uma paraense perdida em Brasilia.

23/10/06 8:47 PM  

Postar um comentário

<< Home