sexta-feira, julho 28, 2006

Um fim de semana REAL

Princesa Lea pros meninos...



E REI XERXES pras meninas:



(Ladys, acho que estamos levando vantagem. Rodrigo Santoro de rei Persa. )

quarta-feira, julho 26, 2006

As fotos provam tudo

Cá estão as foténhas do encontro entre dois blogueiros paraenses e duas blogueiras cariocas. Tá certo, tá certo... tem mestre Boné, também, o jedi que ainda não é blogueiro, mas será em breve.


A jornalista Top Cat, linda, linda, linda




Mestre Boné, futuro blogueiro



Policarpe, o sorriso mais lindo do Pará



Coyote, o físico teórico (mas que tem cara-de-artista)



E nós todos juntos... ai, como a gente deu gargalhada, benza Deus!


Foi muito, muito legal. Quem sabe um dia a gente não consegue reunir todo mundo que está na listinha de colaboradores aqui do Sotaques? Sonhar pode, né?

Ps. - como não podia deixa de comentar, notaram, na foto do Policarpe, a performance da mocinha por trás dele? Acho que ela se empolgou ao contar um caso pro seu acompanhante... mas, os braços ficaram numa posição bonita, né?

segunda-feira, julho 24, 2006

Só de Sacanagem

Só de Sacanagem por Elisa Lucinda

Ana Carolina declama.
É muito importante... Ainda mais nessa época de voto...
Vamos querer! E mudar o final!

Achei na net e achei legal compartilhar com vcs!
Ver suas opiniões e comentários.

Segue aqui o texto na integra:

"
Meu coração está aos pulos!

Quantas vezes minha esperança será posta à prova?

Por quantas provas terá ela que passar? Tudo isso que está aí no ar, malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro, do meu, do nosso dinheiro que reservamos duramente para educar os meninos mais pobres que nós, para cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais, esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais.

Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz, minha confiança vai ser posta à prova?

Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais?

É certo que tempos difíceis existem para aperfeiçoar o aprendiz, mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros venha quebrar no nosso nariz.

Meu coração está no escuro, a luz é simples, regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e os justos que os precederam: "Não roubarás", "Devolva o lápis do coleguinha", "Esse apontador não é seu, minha filha". Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido que escutar.

Até habeas corpus preventivo, coisa da qual nunca tinha visto falar e sobre a qual minha pobre lógica ainda insiste: esse é o tipo de benefício que só ao culpado interessará. Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear: mais honesta ainda vou ficar.

Só de sacanagem! Dirão: "Deixa de ser boba, desde Cabral que aqui todo mundo rouba" e vou dizer: "Não importa, será esse o meu carnaval, vou confiar mais e outra vez. Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos, vamos pagar limpo a quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês. Com o tempo a gente consegue ser livre, ético e o escambau."

Dirão: "É inútil, todo o mundo aqui é corrupto, desde o primeiro homem que veio de Portugal". Eu direi: Não admito, minha esperança é imortal. Eu repito, ouviram? Imortal! Sei que não dá para mudar o começo mas, se a gente quiser, vai dar para mudar o final!
"

quinta-feira, julho 20, 2006

CURTINDO A VIDA ADOIDADO!

Ferris Bueller's Day Off - The Beatles - Twist and Shout

Em homenagem a noticia do novo filme de Ferris.
Ele no seu momento maior no filme antigo.
A cena clássica dele and Twist and Shout!

domingo, julho 16, 2006

GAHHHHHHHH!

quinta-feira, julho 13, 2006

Não me lembro de ter pedido para acabar, mas tudo acaba.

Não acredito em amor eterno, amor carnal sem validade por assim dizer, há algum tempo. Deixei de acreditar que exista uma pessoa feita só para você em algum lugar, e que, você irá casar com ela e ser feliz sempre. Afinal, temos dois problemas neste pensamento: a felicidade é um momento, uma fração da vida que você considera ideal e que vai estar em sua lembrança durante muito tempo... já vi senhores com um olhar de felicidade melancolica indescritível, apenas por terem lembrado de um momento perfeito que acontecera a décadas atrás. Além disso somos humanos, insatisfeitos, até mesmo com a perfeição.
Imagino como seria encontrar uma pessoa perfeita para mim: apareceria assim radiante, como uma lufada de vida depois de uma tempestade, e me faria me sentir pequeno por um momento, inseguro, para logo após elogiar meu sorriso e me tornar o mais belo dos homens. Seria minha mentora e minha mãe, sem me prender demais, e nem cobrar. Seria assim como um amigo perdido daqueles que agente conta tudo, que divide tudo, e nunca iria embora. Seria a mais bela das mulheres, mas só teria olhos para mim...
Então eu acordaria um dia com essa pessoa a meu lado, e passaria a achar tudo muito chato. Viagens demais, viagens de menos, sorrisos, abraços, afagos, atenção, dinheiro, companherismo... tudo seria demais ou de menos... as leis econômicas agindo no relacionameto. Acabaria caindo fora ou sofreria, porque no fundo gostamos de viver, sofrer, gritar, chorar por pessoas imperfeitas e erradas.
Deixei de acreditar nas utopias dos relacionamentos eternos. Acredito sim, na acomodação, no se acostumar com a pessoa que está ao seu lado, para não ter que ficar trocando de parceiro e ter que se adaptar de novo.
Por isso prefiro meus amigos. Com eles eu não como sal junto.
Balada do cárcere de Reading
(...) A gente sempre destrói tudo aquilo que mais ama
em campo aberto ou numa emboscada
alguns com a leveza do carinho
outros com a dureza da palavra
Os covardes destróem com um beijo
Os valentes, destróem com a espada...
Oscar Wilde

terça-feira, julho 11, 2006

Cena + Dialogo

Homenageando o Claquette!

E ao mesmo tempo... Ressuscitando uma das idéias que lá existia...

Eu dou a cena e vocês dão o dialogo!

:D

segunda-feira, julho 10, 2006

A internet é ma-ra-vi-lho-sa

Em que outro lugar do mundo, em que época da humanidade, você teria ISSO disponível on-line, menos de 24 horas depois do acontecido?




Viva a internet, mil vezes. Coisinha poderosa, meu.

quinta-feira, julho 06, 2006

Apresentação...

Pelo que já vi aqui... Todo novo blogueiro se apresenta com um post.

Então não vou fugir a regra não é?

Uia sô! Um mineirinho no meio desse trem vai ser bom pur demais!

Vamos então as apresentações, meu nome é Rodrigo Figueiredo, mas como alguns já devem ter reparado sou também o Bodas, Morpheus, Garfield entre tantos outros apelidos.

O Bodas em si vêem de uma época onde tinha o hábito de escrever o meu nome em todos os lugares (quadros negros, cadernos, carteiras)... Só que de uma forma diferente... Desta aqui:

Mas é claro que com uma exposição destas, logo começaram as brincadeiras e variações em torno do escrito, criando toda uma gama de apelidos e gracejos. Começou pela semelhança do R com o B e virei BODIBAGO, mas não durou muito, por que afinal de contas BODIBAGO é um tanto estranho e difícil de se falar então tornou-se BODIBOGO.

Que ficou bem mais legal, mas ainda assim um tanto quanto grande para um apelido, e alguns resolveram começar a encurtar para BODI ou BODY.

Nessas de BODY para BODAS foi um pulo simples dado não só pelo Trotta, mas por todo um grupo de amigos com um em especifico (o Ricky) que era de Poços de Caldas, minha cidade natal, e dentro da faculdade onde BODY já era praticamente nome.

Sim por que não sei direito como, mas meus apelidos são mais usados do que meu próprio nome, não que eu me incomode com isso, de maneira nenhuma e sim muito pelo contrario, já que acho até mais carinhoso e amistoso o apelido do que o nome em si.

Apelidos na minha opinião são maneias pessoais e individuais de se chamar a quem se gosta.

Mas voltando aos meus apelidos... Eles são também regionais além de pessoais, por que cada grupo de amigos me chama por um em especial.

A maior parte do pessoal de Poços ainda me chama de BODY, alguns amigos de Itajubá me chamam de Tio Rogger como também um amigo de Campo Grande me chama, mas este também me chama de PUDIM. Em casa como quase todos os Rodrigos que eu conheço sou o Rô para minha mãe, e costumava ser sanapismo para meus avós ou mesmo rato branco, mas ultimamente sou apenas chamado de filho mesmo por eles.

Cada apelido têm sua explicação e cada explicação leva um post pelo menos! Risos.

Mas todos têm histórias divertidas envolvendo.

Acho que é isso, com isso vocês já sabem algumas coisas sobre mim, minha cidade, meus amigos e o por que deste apelido que escolhi para o “SOTAQUES”.

Obrigado Mamy pelo convite! Espero contribuir para a vida deste blog!

quarta-feira, julho 05, 2006

Texto que escrevi num dia em que tudo o que vi foram costas viradas para mim

O Soldado disse ao General:
- Estou cansado e triste. Sente-se comigo à sombra das árvores e me faça acreditar na alegria...

Então, o General disse ao Soldado:
- Você é um mau soldado, pois veio perturbar-me com seus queixumes. Está cansado? Isso mostra que tem um trabalho digno. Está triste? Nada tenho com isso. Sua tristeza não é culpa minha. Acaso me acusa de deixá-lo triste?

O Soldado tentou argumentar:
- Minha tristeza é só minha. Meu cansaço é só meu. Porém, sabendo-me triste e cansado, o senhor poderia me proporcionar alívio.

O general retrucou:
- Soldado, não posso oferecer atenção especial a ninguém. Suas exigências me incomodam, pois me mostram que no quartel há pessoas cansadas e tristes, coisa que nego. Mas, se abrir mão das queixas e mostrar-se alegre, poderemos ouvir a banda tocar alguns dobrados animados.

O Soldado, triste, respondeu:
- Pedi-lhe que me fizesse acreditar na alegria, e o senhor me sugeriu fingir animação. Mostrei-lhe minhas angústias num voto de confiança, e o senhor o viu como incômodo. Doravante, vou acreditar na vida e na alegria- porém, não acredito mais nos Generais.

O Soldado desertou do quartel, ainda cansado, ainda triste, mas cheio de esperança de encontrar alguém que sentasse com ele à sombra das árvores.

O General praguejou contra o Soldado durante algum tempo, mas como nenhum outro soldado resmungou novamente, decidiu acreditar que confiança alegre e fingida é melhor que queixumes incômodos.

terça-feira, julho 04, 2006

Grafiti em Évora


Estes sãos os símbolos da minha terra, agora revisitados por um grupo de grafiters. Gostei muito desta imagem. Está aqui o que é o Alentejo, está o camponês com o seu capote, mesmo no Verão tórrido, a ceifeira com lenço, o campo, a horta, as galinhas, o gado pelo cajado na mão dele, e tudo a mostrar como é bonito.

A Mamy pediu, eu prontamente respondi, aqui está o que mais gostei das festas populares da minha cidade.